7 de jun de 2012

A precariedade do transporte público em Neves

Por Cléber Sérgio de Seixas

Ônibus que não passam nos horários, que, “quebrados”, ficam pelo caminho, que se deslocam superlotados, além de trafegarem sujos e sem manutenção, tudo isso é uma realidade no transporte público de Ribeirão das Neves. Só quem se desloca utilizando o transporte público dessa cidade rumo a Belo Horizonte é capaz de narrar as desventuras e o sofrimento a que são submetidos os usuários.

Há mais de vinte anos a empresa Transimão monopoliza o transporte público na região central de Ribeirão das Neves, na região do bairro Veneza e na região do bairro Liberdade sem que melhorias substanciais na qualidade do serviço tenham sido constatadas. Pelo contrário, os serviços de transporte de tal empresa, a cada dia, só fazem piorar. Não se sabe como tem se dado o processo de renovação da concessão pública de transporte à Transimão. O fato é que o deslocamento através dos ônibus da supracitada empresa é um calvário diário àqueles que utilizam tal serviço.


Desde o ano passado, representantes do Movimento dos Usuários e Trabalhadores do Transporte Coletivo da RMBH (MUT) têm se mobilizado em prol da melhoria da qualidade do transporte coletivo em Ribeirão das Neves. A mobilização tem dado frutos, a exemplo dos cerca de 15 veículos que foram retirados de circulação no ano passado após denúncias do movimento. Apesar disso, o serviço de transporte oferecido pela empresa Transimão em Ribeirão das Neves ainda é precário, para dizer o mínimo.

A propósito do transporte público de Ribeirão das Neves, reproduzo abaixo alguns vídeos do quadro “Me chama que eu vou”, apresentado pelo jornalista Marcos Maracanã, apresentador do programa jornalístico Minas Urgente da rede Band Minas.




Nenhum comentário: